Veja a seguir uma lista de orientações a respeito do manuseio e manutenção de infusões e cateteres, informações sobre condições de saúde e outros tipos de cuidados a serem tomados.

 

Cuidados Gerais com a Pele Ressecada

 O ressecamento da pele ocorre quando a camada superficial torna-se desidratada, principalmente durante os meses de inverno e pouca umidade. Idosos podem apresentar pele seca, algumas vezes com prurido, especialmente nas pernas, durante o ano inteiro. Em geral, o prurido acompanha a pele seca. O tratamento envolve a hidratação da pele e a umidificação do ambiente.

Caso esteja em tratamento radioterápico, siga as orientações de cuidados com a pele determinadas pela equipe do serviço de radioterapia.

Recomendações:

  • Mantenha o ar umidificado em casa, quando necessário.
  • Evite banhos muito quentes e prolongados.
  • Evite se ensaboar demais e não use esponja.
  • Utilize sabonetes suaves com ação hidratante.
  • Hidrate a pele, preferencialmente após o banho. A pele úmida permite a maior absorção do produto. Reaplique antes de dormir.
  • Seque o corpo com toalha de banho macia, sem friccionar.
  • Proteja a pele diariamente, durante o ano inteiro, com filtro solar fator de proteção mínimo de 30
  • No inverno, evite roupas de lã. Prefira tecidos com 100% algodão.
  • Mantenha os lábios umidificados com manteiga de cacau ou hidratante labial sem fragrância. Reaplique sempre que necessário.
  • Trate a pele seca das mãos e pés utilizando o hidratante recomendado na hora de dormir. Para melhorar a absorção mantenha-os protegidos com luvas e /ou meias de algodão.
  • Use luvas de borracha ou nitrila para evitar o contato direto das mãos com produtos de limpeza. Escolha um detergente suave. Após as atividades domésticas, reaplique o creme hidratante.
  • Evite coçar a pele. Caso apresente prurido intenso, comunique a equipe médica e/ou enfermeiro.

Cuidados com a Pele e Rash tipo Acne durante o uso de Terapia Alvo

A Terapia Alvo Molecular causa menos efeitos colaterais do que a quimioterapia, mas pode ocasionar problemas na pele.

As principais alterações observadas são:

  • Rash tipo Acne na face, tórax e parte superior das costas

Os sintomas podem iniciar com um leve desconforto e progredir causando dor e interferência nas atividades da vida diária. As alterações geralmente surgem após os primeiros meses de tratamento, são semelhantes à acne, entretanto não melhoram com os medicamentos convencionais para este tipo de lesão.

  • Ressecamento da pele, descamação e prurido no couro cabeludo, tronco, braços e pernas

O ressecamento da pele pode ocasionar rachaduras e fissuras na ponta dos dedos e calcanhares. O ressecamento e o prurido podem ser desconfortáveis e causar a interrupção do sono. Isso em geral é observado após o segundo mês de tratamento.

  • Dor e inchaço nas unhas das mãos e pés

Estas alterações causam dificuldade para segurar objetos, canetas, talheres, abotoar roupas e calçar sapatos. Ocorrem com maior frequência após o quarto mês de tratamento.

  • Ondulação e perda de cabelo

Além da perda e/ou ondulação dos cabelos, podem ser observados o crescimento de pêlos no rosto, sobrancelhas ou cílios. Essas mudanças aparecem geralmente a partir do quarto mês de tratamento.

Cerca de 50-90% dos indivíduos, desenvolvem alterações em algum grau, na pele e cabelo. Os sintomas usualmente desaparecem com a redução da dose ou interrupção da terapia medicamentosa.  A pele começa a melhorar em algumas semanas.

Recomendações:

  •  Informe ao médico e/ou enfermeiro, caso apresente qualquer uma dessas modificações. Não pare de tomar seus medicamentos antes da orientação do oncologista ou dermatologista.
  • Use protetor solar diariamente, especialmente no rosto e nas áreas expostas à luz do sol, com fator de proteção solar (FPS) mínimo de 30 e com proteção UVA e UVB.
  •  Se você estiver tomando Tarceva®, faça a ingestão do medicamento com o estômago vazio, pelo menos 1 hora antes ou duas horas após a refeição.
  • Use maquiagem hipoalergênica e caso apresente vermelhidão e/ou coceira, suspenda o uso dos produtos.

Sintomas

Orientações

 

Ressecamento e descamação da pele

  • Hidrate a pele, preferencialmente após o banho. A pele úmida permite maior absorção do produto.
  • Prefira pomadas ou cremes em vez de loções.

 

Prurido corporal

  • Use hidratantes e antialérgicos, de acordo com a prescrição médica.
  • Alguns medicamentos para aliviar o prurido causam sonolência. Prefira ingeri-los à noite.

 

Vermelhidão e inflamação da pele

 

  • Aplique cremes contendo corticoides, conforme a orientação médica.

 

Coceira no couro cabeludo

 

  • Aplique soluções contendo corticoides, de acordo com a prescrição médica.

 

 

 

Inflamação nas unhas dos pés e das mãos

  • Utilize sapatos macios e preferencialmente abertos.
  • Evite atividades que causem impacto e trauma nas mãos e pés.
  • Em alguns casos é necessário o uso de antibióticos tópicos e a cauterização química no consultório.
  • Caso haja sinais de infecção (dor, vermelhidão, inchaço e secreção) faça a imersão das mãos e/ou pés em solução de vinagre branco e água, preparada em partes iguais, durante 15 minutos ao dia.

 

Aumento do crescimento dos pelos na face

 

  • Use lâminas de barbear e barbeador elétrico. Evite depiladores químicos.

 

Comunique a equipe médica e/ou enfermeiro, se após os cuidados orientados, as lesões cutâneas e alterações de unhas ou cabelos não melhorarem ou progredirem.

Uma complicação decorrente da administração de medicamentos por acesso venoso é a flebite, ou seja, a inflamação do vaso sanguíneo. Alguns medicamentos podem causar irritação no trajeto venoso, calor, vermelhidão e dor no local onde foi administrado. Para que estes sintomas possam ser minimizados é importante que siga corretamente as seguintes recomendações:

( ) Aplicar compressa MORNA no local durante 20 minutos, 4 vezes/ dia, por 7 dias

( ) Aplicar Cataflan gel® (Diclofenaco), 3 vezes/ dia, na área afetada por 7 dias

( ) Aplicar Hirudoid creme® (Polissulfato de mucopolissacarídeo),3 vezes/dia, por 7dias

( ) Aplicar RD Care®(Gel refrescante de Camomila), 3 vezes/dia, por 7 dias

(   ) Nome do quimioterápico extravasado:

_____________________________________

 

 

Data: ____/ ____/ ____

 

________________________________ Enfermeira responsável pela orientação

 

CUIDADOS GERAIS:

  • Manter o braço elevado com um travesseiro, sempre que possível, para diminuir o inchaço no local
  • Não aplicar qualquer loção, creme ou pomada por conta própria;
  • Evitar exposição direta à luz solar;
  • Não utilizar roupas apertadas ou aplicar pressão excessiva na área afetada;
  • Entrar em contato imediatamente se tiver febre (37,8oC ou mais) dor, vermelhidão, bolhas, endurecimento da veia, inchaço, ferida, diminuição da mobilidade ou da sensibilidade do membro afetado;
  • A enfermagem entrará em contato telefônico para avaliação das condições da pele e solicitará a sua presença em consulta na clínica, se necessário.

 

NOSSOS CONTATOS:

BIP de emergência 11 3522.7874

Unidade FARIA LIMA 11 3067.5414

Unidade HIGIENÓPOLIS 11 2114.6405

Unidade TATUAPÉ 11 3388.5405

 Muitos pacientes em tratamento sentem-se cansados e sem energia, é o que chamamos de fadiga. As causas para o cansaço podem ser: a própria doença, o tratamento cirúrgico, quimioterapia, radioterapia, o stress, a ansiedade, dor, falta de sono tranquilo, contagem baixa das células do sangue, alimentação inadequada, etc. Nem todos sentem a fadiga e a sua intensidade pode variar de uma pessoa para outra. O cansaço acentuado ocorre em caráter transitório, alguns dias após a quimioterapia. Comunique o médico e a enfermeira para o alívio deste sintoma e administração de medicamentos, se necessário.

RECOMENDAÇÕES:

  •  Planeje o dia com intervalos de descanso alternados com as atividades diárias;
  •  Não descanse por períodos prolongados, evitando maior cansaço e desânimo;
  • Durma mais no período da noite e descanse por curto período durante o dia  
  • Durma mais no período da noite e descanse por curto período durante o dia;
  •  Faça pequenas caminhadas e exercícios leves;
  • Procure terapias complementares como ioga, meditação e visualização;  Se precisar, peça ajuda a familiares e amigos, principalmente para os afazeres mais difíceis como cuidar de crianças, fazer compras, tarefas de casa, dirigir, etc;
  • Poupe energia para as atividades de maior importância.

Cuidados e Tratamento das Unhas

Algumas drogas quimioterápicas podem causar alterações nas unhas das mãos e pés. Os sinais e sintomas mais comuns são: manchas escuras, formação de sulcos, descamação, rachaduras, descolamento, dor, inchaço, presença de secreção e infecção.

Essas mudanças podem dificultar a realização das atividades da vida diária, como abotoar a roupa, segurar o garfo ou a caneta etc. São observadas mais comumente cerca de três a seis semanas após o início do tratamento. Os sinais e sintomas são minimizados e/ ou desaparecem com a redução de dose ou suspensão do medicamento.

A recuperação das unhas pode demorar de seis meses a um ano, após o término da quimioterapia.

Recomendações:

  • Mantenha mãos e pés hidratados com cremes.
  • Evite banhos quentes prolongados e de banheira.
  • Evite o uso de meias, luvas e sapatos apertados.
  • Escolha calçados macios e utilize meias de algodão.
  • Não faça as unhas dos pés e/ou mãos em manicures ou pedicures. Esmaltes podem ser utilizados.
  • Se houver sinais e sintomas de infecção, faça a imersão das mãos e/ou pés em solução de vinagre branco e água, preparada em partes iguais, durante 15 minutos ao dia.
  • A equipe médica pode recomendar o uso de o analgésicos por via oral, para alívio da dor.

Este efeito colateral é transitório é reversível. Siga corretamente as orientações para solucionar o desconforto e garantir sua pronta recuperação.

 

 

 

 O infusor ou bomba de infusão portátil é um dispositivo utilizado para a aplicação de quimioterapia por tempo prolongado. Ele é especialmente recomendado para a administração medicamentosa em domicílio, oferecendo comodidade, liberdade e desempenho seguro das atividades diárias.

RECOMENDAÇÕES:

  • Mantenha o restritor de fluxo sempre em contato com a pele, fixando-o com o auxílio de fita adesiva para garantir a aplicação da droga no tempo correto;
  • Durante o banho, retire o dispositivo da sua bolsa protetora e coloque-o em saco plástico, mantendo-o pendurado e fechado no registro do chuveiro. Evite o contato do equipamento com água;
  • Observe a região de colocação do cateter e na presença de dor, inchaço ou vermelhidão, comunique o serviço de enfermagem para avaliação da infusão correta do medicamento;
  • Mantenha o infusor, na maior parte do tempo, na altura da área de implantação do cateter, principalmente ao deitar;
  • Conserve o reservatório em sua bolsa protetora para transporte;
  • É IMPORTANTE o controle contínuo da administração do medicamento através da escala graduada e do sensor encontrado no reservatório. A velocidade de infusão é muito lenta, realize a verificação a cada 4 a 6 horas;
  • No período em que a clínica permanecer fechada, caso você observe que o sensor do equipamento se mantêm na mesma posição, indicando a ausência de infusão, faça contato com a Central de Emergência do CPO. O médico plantonista o encaminhará ao Pronto Socorro para a retirada do infusor e heparinização do cateter. Acondicione o equipamento em saco plástico fechado e procure à clínica, o mais breve possível;
  • No dia do agendamento da quimioterapia, esteja atento para programar a data de retirada da Bomba de Infusão. Informe-se com a enfermeira sobre a data e horário de término da aplicação para a remoção do Infusor e cuidados com o cateter. 

O infusor ou bomba de infusão portátil é um equipamento eletrônico utilizado para a aplicação de quimioterapia por tempo prolongado. Ele é especialmente recomendado para a administração medicamentosa em domicílio, oferecendo comodidade, liberdade e desempenho seguro das suas atividades diárias. O seu funcionamento é realizado com uso de pilhas ou baterias, sendo programado (velocidade e tempo) para garantir a infusão dos medicamentos prescritos por seu médico.

RECOMENDAÇÕES:

  • Durante o banho, retire o dispositivo da sua bolsa protetora e coloque-o em saco plástico, mantendo-o pendurado e fechado no registro do chuveiro. Evite o contato do equipamento com água;
  • Observe a área de colocação do cateter e na presença de dor, inchaço ou vermelhidão, comunique o serviço de enfermagem para avaliação da infusão correta do medicamento;
  • É IMPORTANTE o controle contínuo da administração do medicamento. Verifique no visor do aparelho a quantidade restante a ser aplicada. De acordo com a velocidade de infusão programada, deverá ser notado a cada hora o respectivo decréscimo de volume do medicamento administrado;
  • Conserve a bomba de infusão em sua bolsa protetora para transporte;
  • No período em que a clínica permanece fechada, caso observe no visor que a quantidade de medicamento permanece a mesma, indicando a ausência de infusão, faça contato com a Central de Emergência do CPO. O médico plantonista o encaminhará ao Pronto Socorro para a retirada do infusor e heparinização do cateter. Acondicione o equipamento em saco plástico fechado e procure à clínica, o mais breve possível;
  • No dia do agendamento da quimioterapia lembre-se de programar a data de retirada da bomba de infusão;
  • Informe-se com a enfermeira sobre a data e o horário de término da aplicação para a retirada do infusor e a realização dos cuidados com o cateter. Um alarme sonoro contínuo indicará a completa administração do medicamento. Procure a clínica cerca de quinze minutos antes do horário marcado, evitando o desconforto e a ansiedade gerados pelo ruído.

A obstipação (prisão de ventre) pode ocorrer em consequência da redução da ingestão de alimentos ricos em fibra, da inatividade física, do uso de analgésicos, do uso de antieméticos e de alguns quimioterápicos.

Considera-se que uma pessoa está com prisão de ventre quando:

  •  Evacua menos de três vezes por semana;
  •  Precisa fazer muita força para evacuar;
  •  Produz fezes endurecidas e/ou ressecadas. RECOMENDAÇÕES:
  •  Realize atividade física com regularidade;
  •  Não iniba a vontade de evacuar;
  •  Comunique o médico caso a obstipação persista por período superior à 48h;
  •  Siga corretamente o uso de laxativos, conforme orientação médica

 RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS:

  •  Beba cerca de 2 litros de líquidos por dia (10 copos), em intervalos regulares ou de hora em hora.
  •  Procure se alimentar nos mesmos horários e não inibir o reflexo evacuatório. Aumente a ingestão de fibras (pão integral, arroz integral, macarrão integral, frutas secas), frutas laxativas (mamão, laranja, tangerina com bagaço, ameixa, caqui, manga, figo e etc), vegetais folhosos (espinafre, alface, couve e etc.), farelo ou germe de trigo e sementes oleaginosas (nozes e castanhas).
  •  ATENÇÃO: a fibra somente desempenha um bom resultado na presença de líquido, portanto mantenha a hidratação adequada e contínua.

As células da medula óssea, responsáveis pela produção do sangue, são bastante sensíveis à ação dos agentes quimioterápicos. Como consequência, os glóbulos brancos (leucócitos), vermelhos (hemácias) e as plaquetas podem ter sua produção comprometida, determinando queda em suas contagens no sangue. A queda na contagem dos glóbulos brancos (leucócitos) no sangue, que ocorre mais frequentemente entre 7 a 10 dias após a aplicação da quimioterapia, pode predispor o organismo à infecções. Entretanto, este é um efeito colateral transitório e os níveis celulares serão restabelecidos em alguns dias.

RECOMENDAÇÕES:

  •  Evite aglomerações ou contato com pessoas doentes  Não faça uso de supositórios
  •  Não corte ou tire as cutículas
  •  Tenha cuidado para não machucar ou escoriar a pele  Use um barbeador elétrico ao invés de lâmina de barbear prevenindo pequenos cortes
  •  Não tome nenhum tipo de vacina ou realize tratamento cirúrgico e dentário sem autorização médica
  •  Caso apresente febre (temperatura maior ou igual a 37,8ºC), comunique imediatamente a equipe médica através da Central de Emergência do CPO
  •  Siga as orientações médicas para o uso de antibióticos e antitérmicos.

RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS:

  •  Siga as orientações de segurança para reduzir o risco de exposição a bactérias e outros organismos que possam causar infecções;
  •  Lave as frutas, verduras e legumes com a ajuda de uma esponja macia (separar uma esponja só para essa finalidade), deixe de molho em solução de desinfecção e enxague completamente antes de ingerí-los;
  •  Consuma as frutas imediatamente após cortadas, pois suas vitaminas se degeneram em contato com ar e com a luz;
  •  Lave a embalagem dos alimentos (principalmente a tampa) com água e sabão antes de abrir (tetrapak, vidros e latas);
  •  Evite o consumo de carnes mal passadas;
  •  Cozinhe os ovos até a clara estar completamente dura e a gema espessa;
  •  Descongele a carne, peixe ou ave em geladeira ou micro-ondas, nunca à temperatura ambiente. Não congele novamente;
  •  Não deixe alimentos perecíveis fora da geladeira por mais de duas horas;
  •  Preparações com ovos, cremes, maionese e molhos não devem permanecer fora da geladeira.

As células da medula óssea, responsáveis pela produção do sangue, são bastante sensíveis à ação dos agentes quimioterápicos. Como consequência, os glóbulos brancos (leucócitos), vermelhos (hemácias) e as plaquetas podem ter sua produção comprometida, determinando queda em suas contagens no sangue.

A diminuição dos glóbulos vermelhos torna-se evidente somente após alguns ciclos de quimioterapia, sendo identificada através da queda da hemoglobina no hemograma e de sintomas como palidez, tontura, cansaço e taquicardia.

RECOMENDAÇÕES:

  •  Comunique a equipe médica o aparecimento desses sintomas
  •  Procure alternar os períodos de descanso e de atividade
  •  O médico poderá corrigir a anemia com o uso de medicamentos ou transfusão de sangue, se necessário 

As células da medula óssea, responsáveis pela produção do sangue, são bastante sensíveis à ação dos agentes quimioterápicos. Como consequência, os glóbulos brancos (leucócitos), vermelhos (hemácias) e as plaquetas podem ter sua produção comprometida, determinando queda em suas contagens no sangue. As plaquetas são componentes do sangue responsáveis pela coagulação. A queda na contagem de plaquetas pode determinar o surgimento de pequenos sangramentos espontâneos.

RECOMENDAÇÕES:
  • Comunique a equipe médica o aparecimento de:
V Hematomas espontâneos
V Pequenas manchas vermelhas na pele;
 V Urina avermelhada ou rosada/ Fezes pretas ou com sangue;
V Sangramento da gengiva ou nariz;
V Sangramento vaginal intenso ou período menstrual maior que o normal;
  • Utilize escova de dente macia e procure restringir o uso de fio dental;
  • Evite assoar o nariz com frequência e faça uso de um lenço macio;
  •  Tome cuidado para não se cortar; suspenda a prática esportiva durante o período de plaquetopenia;
  • Use o barbeador elétrico no lugar da lâmina de barbear;
  • Siga corretamente a indicação médica para o uso de medicamentos ou transfusão de plaquetas.

O infusor ou bomba de infusão portátil é um dispositivo descartável utilizado para a aplicação de quimioterapia por tempo prolongado. Ele é especialmente recomendado para a administração medicamentosa em domicílio, oferecendo comodidade, liberdade e desempenho seguro das atividades diárias.

Porém, alguns cuidados devem ser tomados durante o seu período de uso:

  • Mantenha o restritor de fluxo sempre em contato com a pele, fixando-o o com auxílio de fita adesiva para garantir a aplicação da droga no tempo correto;
  • Durante o banho, retire o dispositivo da sua bolsa protetora e coloque-o em saco plástico, mantendo-o pendurado e fechado no registro do chuveiro. Evite o contato do equipamento com a água;
  • Observe a área do cateter e na presença de dor, inchaço ou vermelhidão, comunique o serviço de enfermagem para avaliação da infusão correta do medicamento;
  • Mantenha o Infusor, na maior parte do tempo, na altura do cateter, principalmente ao deitar;
  • Observe a progressão da administração do medicamento através das marcas de graduação encontradas no reservatório transparente. A velocidade de infusão é muita lenta, portanto realize este controle a cada 4 a 6 horas;
  • Conserve o reservatório em sua bolsa protetora para transporte;
  • Qualquer intercorrência faça contato telefônico com a equipe de enfermagem ou através do BIP, para avaliação de problemas relacionados com o uso do equipamento;
  • No dia do agendamento da quimioterapia, lembre-se de programar a data de retirada da "Bomba de Infusão";
  • Informe-se com a enfermeira sobre a data e horário de término da aplicação para a remoção do Infusor e cuidados com o cateter.

A diarreia consiste em três ou mais evacuações por dia, de conteúdo amolecido ou líquido. Pode aparecer em decorrência do uso de alguns medicamentos quimioterápicos e/ou radioterapia em região pélvica devido ao dano às células sadias, que recobrem internamente o intestino delgado e o intestino grosso.

Ocorre com maior ou menor intensidade dependendo da sensibilidade de cada organismo.

RECOMENDAÇÕES:

  •  Realize a higiene íntima com água e sabonete neutro após as evacuações;

  •  Evite traumatizar a região perianal usando o papel higiênico;

  •  Se houver irritação perianal: aplique pomadas que promovam proteção, cicatrização e alívio da dor (compostos com vitamina A, D e E, anestésicos locais);

  •  Observe e monitore o número de evacuações, o aspecto das fezes e se existe a presença de sangramentos;

  •  Realize períodos maiores de descanso, repouso e relaxamento;

  •  Caso apresente diarreia persistente por mais de 24 horas, procure orientação médica;

  •  Siga as instruções para o uso de medicamentos antidiarreicos, conforme prescrição;

  •  Este é um efeito colateral transitório, procure orientação médica e de enfermagem, não realize a auto medicação.

 RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS

  •  Beba bastante líquido para repor suas perdas (água de coco, isotônicos, sucos de frutas, chás). Evite bebida gasosa (água com gás ou refrigerantes);

  •  Evite alimentos gordurosos, fritos, condimentados ou muito doces;

  •  Evite alimentos crus, integrais e fibras;

  •  Evite o excesso de alimentos com cafeína (café, chá preto, chá mate, chá gelado, chocolate);

  •  Evite, nesse período, consumir leite de vaca e seus derivados.

  •  Experimente leite de soja ou de vaca com baixo teor de lactose;

  •  Alimente-se de bolachas, frutas cozidas, batata, cenoura, chuchu, arroz branco e carnes (vaca, frango ou peixe) assadas, cozidas, grelhadas ou ensopadas.

Alguns quimioterápicos podem causar náuseas e vômitos, que geralmente surgem entre 24 e 72h após a aplicação. Para minimizar e até mesmo prevenir a ocorrência destes sintomas utilize os medicamentos contra náuseas e vômitos (antieméticos) e siga as seguintes recomendações.

RECOMENDAÇÕES:

  •  Tome os antieméticos nos dias subsequentes à quimioterapia, de acordo com a orientação médica.Caso não tenha essa recomendação, utilize-os somente se necessário;

  •  Mantenha um horário regular para tomar os antieméticos e respeite os intervalos conforme a receita (6/6h, 8/8h, 12/12h ou S/N). Se houver necessidade de uso de dois ou mais antieméticos, procure intercalar o horário de tomada, garantindo a proteção contra o sintoma por tempo mais prolongado;

  •  Tome os antieméticos preferencialmente 30 minutos antes das refeições para garantir melhor absorção do medicamento e seu efeito terapêutico.

  •  Permita curtos períodos de descanso durante as atividades comuns do dia a dia, algumas pessoas conseguem alívio da náusea quando se deitam;

  •  Evite cheiros fortes ou desagradáveis. Não permaneça na cozinha durante o preparo dos alimentos.

  •  Evite o uso de perfumes fortes e produtos de limpeza;  Realize a higiene oral com frequência, seguindo as orientações da enfermagem

RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS  

  •  Procure comer quando não estiver se sentindo nauseado ou quando a náusea estiver controlada;

  •  Dê preferência a alimentos secos, como: biscoitos, torradas, cereais, bolos sem recheio;

  •  Masque cristais de gengibre;

  •  Evite alimentos fritos, empanados, gordurosos, condimentados, doces ou com um odor muito forte;

  •  Congele seu suco de frutas favorito ou água de coco e chupe nos intervalos das refeições;

  •  Procure comer em intervalos de 3 em 3 horas;

  •  Não se force a ingerir seus alimentos preferidos quando estiver nauseado. Isso pode causar aversão a esses alimentos;

  •  Evite comer em ambiente muito cheio, quente ou com odor de comida;

  •  Beba bastante líquido durante o dia, em quantidades e intervalos pequenos, sempre gelados ou à temperatura ambiente. Evite líquidos quentes;

  •  Evite deitar-se após as refeições, pois isto prejudica a digestão. Procure descansar sentado por pelo menos uma hora após as refeições;

  •  Use roupas soltas que não pressionem a barriga.

Alguns quimioterápicos podem causar alopecia (queda de cabelo), que se desenvolve ao longo do tratamento, podendo ser parcial ou total, iniciando-se cerca de 15 a 20 dias após a primeira aplicação.

O cabelo crescerá novamente após o término do tratamento, uma vez que este é um efeito colateral temporário. Durante este período você pode fazer uso de perucas, lenços, turbantes ou chapéus.

A perda do cabelo poderá ser minimizada com os seguintes cuidados:

  • Evite o uso excessivo de xampu e condicionador;
  • Seque o cabelo delicadamente;
  • Evite prender o cabelo com faixas e grampos;
  • Evite o uso de fixador ou tintura de cabelo;
  • Use pente com dentes largos e penteie suavemente;
  • Mantenha o couro cabeludo protegido da exposição solar direta.

Sugerimos a seguir, locais onde acessórios e perucas podem ser adquiridos.

- LENÇOS -

ESTAÇÃO OUTONO: www.estacaooutono.com.br

Fone: (18) 3908-2749

- PERUCAS -

HAIR LOOK: www.hairlook.com.br

Rua Paes de Araujo, 29 - 11o andar, conjunto 114/115

Fone: (11) 3079-2186 ou 3168-4192

NILTA: www.niltaperucas.com.br

Rua Augusta, 2337 - Jd. Europa

Fone: (11) 3087-5810

RENATA: www.renataperucas.com.br

Av. Paulista, 1499 - loja 22

Fone: (11) 3141- 0101 ou 3171-1507

REVLON: www.perucasrevlon.com.br

Rua Augusta,2340 - Jd. América

Fone: (11) 3085-3866

HD PERUCAS: www.hair4u.com.br

Av. Angélica, 2503 - Higienópolis

Fone: (11) 3542-0069

THIE ATELIER DE CABELOS: www.thieatelierdecabelos.com

Rua da Mooca, 2666 - Mooca, SP

Fone: 2307-1842/2081-1842/

- ATENDIMENTO PARTICULAR -

ESTER: (11) 3081-8106

MARIELA: (11) 3664-8234 ou 9158-5158

YAF: (11) 3082-6054 ou 9199-9012

Os cateteres foram desenvolvidos para facilitar a administração de medicamentos, oferecendo segurança e conforto nas aplicações de quimioterapia. Permitem também a infusão de outros medicamentos e transfusões.

RECOMENDAÇÕES:

  • Verifique as condições da pele, caso observe a presença de secreção, vermelhidão acentuada no local de implantação e/ou febre, notifique seu médico o mais breve possível
  • Após o processo cicatricial, não existem restrições para a manutenção do seu estilo de vida. A prática esportiva, natação e outras atividades podem ser realizadas com tranquilidade, sem que qualquer cuidado seja requerido.
  • Para que a quimioterapia possa ser administrada através do cateter, ele deverá ser puncionado com uma agulha especial que permitirá o seu uso contínuo, sem danificá-lo.
  • Após a utilização, ao término de cada aplicação, o cateter deve ser preenchido com uma solução contendo Heparina (heparinização), que previne a sua obstrução e consequente necessidade de troca.

IMPORTANTE: Se o Port-a-cath® não for utilizado no intervalo de trinta dias, agende uma nova heparinização, garantindo a permeabilidade do cateter para futura administração medicamentosa. Este procedimento deve ser repetido mensalmente até que o médico indique a retirada do dispositivo.

TELEFONE PARA AGENDAMENTO:

CPO Faria Lima: (11) 3067-5400

CPO Higienópolis: (11) 2114-6400

CPO Tatuapé: (11) 3388-5400

A quimioterapia pode ter efeitos tóxicos sobre as células normais da cavidade oral. As principais complicações bucais ocorrem principalmente por queda da resistência imunológica.

Mas não se preocupe, pois todas essas reações podem ser prevenidas e tratadas.

RECOMENDAÇÕES:

  • Cuidados com a Cavidade Oral
  • Realize a higiene oral após cada refeição, ao levantar-se e antes de dormir;
  • Utilize escova de dente com cerdas macias;
  • Utilize o fio dental com MUITA cautela, evitando o contato com a gengiva para prevenir traumatismos;
  • Mantenha os lábios hidratados com manteiga de cacau ou protetor labial.

1º - Utilize creme dental não abrasivo (CARIAX clorexidina 0,12% ou BIOTENE)

2º - Enxaguatório Bucal: CARIAX - Clorexidina 0,12% ou BIOTENE: colocar uma medida (15ml) sem diluição na boca, bochechar por 30 segundos e desprezar.

3º - Aguarde pelo menos 30 minutos.

4º - Fazer bochechos com solução alcalina 3 a 4 vezes ao dia. Prepare a solução diluindo 1 colher de café de bicarbonato de sódio em um copo (200ml) de água filtrada. Bochechar por 30 segundos e desprezar.

 Para boca seca (Xerostomia): KIM HIDRAT (Spray 40ml), BIOTENE (Spray Bucal Umidificante) ou ONCARE (Spray Hidratante)

Pulverize 2 a 3 vezes diretamente na cavidade bucal.

Pode ser utilizado sempre que necessário.

IMPORTANTE:

  •  Comunique a equipe médica ou de enfermagem, caso apresente lesões, aftas, placas esbranquiçadas, dor e/ou ardor na boca.
  •  Não realize tratamento dentário sem autorização prévia do médico.

 

A mucosite é uma inflamação e/ou ulceração da mucosa da boca, esôfago, estômago e intestino que pode ocorrer cerca de 5 a 10 dias após a administração da quimioterapia, devido à ação dos medicamentos sobre as células da mucosa ou da queda de imunidade.

Algumas vezes, predispõe o aparecimento de infecções bacteriana, fúngica, viral e sangramentos. A má nutrição, higiene bucal inadequada, dentes em precárias condições, infecções e gengivite potencializam o risco de mucosite.

Sinais e sintomas: vermelhidão, inchaço, sensação de queimação, dor, aumento da sensibilidade a alimentos quentes e condimentados, aumento da salivação(sialorréia), secura da boca (xerostomia), placas esbranquiçadas e ulcerações (aftas) em gengivas, bochechas e língua.

RECOMENDAÇÕES

  •  Suspenda os bochechos com Bicarbonato de Sódio e Antissépticos ( Cariax® ou Biotene®)
  • Realize a higiene oral com:
  1.  Pasta dentifrícia não abrasiva: escove os dentes com escova de cerdas macias, no mínimo três a quatro vezes ao dia, durante 2-3 minutos;
  2. Enxaguatório bucal: coloque uma medida (15ml) de GINGIKIN B5® (triclosa, pró-vitamina B5), sem diluição, bocheche por 30 segundos e despreze;
  3. O médico poderá recomendar o uso de Nistatina( Mycostatin 100.000UI®-Suspensão). Utilize de 3 a 4 vezes por dia: ingerir 5ml (1 colher de café) bochechar e deglutir, conforme prescrição.

Aguardar por 30 minutos para ingestão de líquidos e alimentos;

  • Dependendo do grau de mucosite, talvez seja necessária a aplicação de LASERTERAPIA por um dentista especializado. O LASER tem ação anti-inflamatória, analgésica e de reparação tecidual.
  • Evite ou limite bebidas alcoólicas e produtos derivados do tabaco, para a prevenção de irritação da mucosa oral.

 RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS:

  •  Procure ingerir alimentos macios e pastosos (sopas cremosas, queijos macios, purês, suflês, iogurte, ovos, macarrão, pudins, sorvetes, milk-shake, creme de frutas).
  • Se necessário, liquidifique os alimentos (inclusive carnes), para tornar mais fáceis de engolir;
  • Evite alimentos duros como torradas, granola e vegetais crus;
  •  Evite alimentos secos (torradas, biscoitos), salgados, sucos de frutas cítricas ou ácidas (laranja, limão, lima, acerola, maracujá, abacaxi), picles, vinagre, alimentos condimentados (pimenta, curry) ou bebidas alcoólicas ou gasosas, que podem causar irritação da mucosa oral;
  • Evite tabaco e alimentos ricos em cafeína;
  • Prefira alimentos à temperatura ambiente. Alimentos muito quentes ou gelados podem causar desconforto.Procure beber com auxílio de um canudo.
Algumas drogas quimioterápicas podem promover um distúrbio no sistema nervoso periférico e central causando: Alteração da sensibilidade, sensação de formigamento ou pontada, dormência e queimação, dor nas mãos, pés, garganta e mandíbula, fraqueza muscular,tontura, perda da coordenação motora, zumbido no ouvido ou diminuição da acuidade auditiva. Estes sintomas são desconfortáveis e geralmente ocasionam dificuldade para segurar objetos, abotoar roupas e escrever, perda do equilíbrio e tremores, necessitando de atenção médica. Ocorrem na maioria das vezes, após várias aplicações do tratamento e são reversíveis, porém podem persistir por meses, anos ou indefinidamente após o término da quimioterapia. O tratamento pode incluir medicamentos, fisioterapia, massagens e acupuntura.
RECOMENDAÇÕES
  •  Realize exercícios leves que promovam aumento da força e o controle muscular.
  •  Garanta boa iluminação nos cômodos de casa para evitar tropeços ou quedas. Instale barras de apoio no banheiro e na área do chuveiro, se necessário;
  •  Evite deixar tapetes soltos, mesas de centro ou objetos nas áreas de maior circulação da casa;
  •  Procure cozinhar com colheres de madeira, panelas com cabos que não aqueçam e luvas térmicas;
  •  Utilize luvas e meias de algodão para manter as mãos e os pés aquecidos em dias frios;
  •  Realize atividades de jardinagem ou até mesmo tarefas domésticas com luvas de borracha;
  •  Utilize sapatos confortáveis, preferencialmente fechados e macios. Os que possuem solado antiderrapante proporcionam maior segurança;
  •  Evite exposição ao ar frio, ingerir alimentos ou líquidos gelados e entrar em contato com superfícies frias;  Informe sempre ao médico e a enfermeira sobre a presença e a intensidade dos sintomas.
 

Alguns quimioterápicos podem causar alterações nas palmas das mãos e plantas dos pés. Os sinais e sintomas observados são: ressecamento e descamação da pele, vermelhidão, diminuição da sensibilidade, sensação de formigamento, dor, queimação, inchaço, formação de bolhas e ulcerações.

O desconforto causado pode ser leve e evoluir com sensação dolorosa e dificuldade nas atividades da vida diária.

As alterações da "Síndrome Mão-Pé" podem ocorrer em cerca de 30 a 60% dos pacientes, aproximadamente de 3 a 6 semanas após o início do tratamento. Os sinais e sintomas são minimizados e/ ou desaparecem com a redução de dose e suspensão do medicamento.

Recomendações:

  • Durante o tratamento, evite a fricção excessiva das mãos e pés. Tenha este cuidado principalmente durante as atividades esportivas e afazeres domésticos.
  • Se bolhas surgirem na pele, evite rompê-las para a prevenção de infecções.
  • Mantenha mãos e pés hidratados. Mergulhe em água fria por 10 minutos, seque e aplique creme hidratante. Evite o uso de loções e soluções a base de álcool.
  • Evite banhos quentes prolongados e de banheira.
  • Caso apresente vermelhidão e inflamação da pele, pomadas com corticoides podem ser prescritas pelo médico.
  • Evite o uso de meias, luvas e sapatos apertados.
  • Escolha calçados macios e utilize meias de algodão.

A equipe médica pode recomendar o uso de analgésicos por via oral, se necessário.

Este efeito colateral é transitório e reversível. Siga corretamente as orientações para solucionar o desconforto e garantir sua pronta recuperação.