Exibindo resultado(s) de ""
A
  • Adenocarcinoma

    É o tipo mais comum câncer. Origina-se nas glândulas presentes nos tecidos de revestimento do organismo. Alguns exemplos de localização dos adenocarcinomas são o trato gastrintestinal, a região da cabeça e pescoço, o trato respiratório, a próstata e a mama.

  • Adenomegalia

    Linfadenopatia é o crescimento de um ou mais linfonodos. É um sintoma presente em muitas doenças. Os gânglios superficiais costumam ser percebidos somente quando apalpados. No entanto, podem se tornar mais evidentes quando aumentam de tamanho. As adenomegalias podem ser causadas por doenças infecciosas e por alguns tipos de câncer. Dentre os tumores que mais frequentemente podem apresentar adenomegalias estão as leucemias, os linfomas e o câncer de cabeça e pescoço.  

  • Adjuvante

    Situação em que um tratamento é realizado imediatamente após o outro, com o objetivo de diminuir o risco de recidiva do câncer. Em geral, o tratamento adjuvante é utilizado para apresentações relativamente mais precoces do câncer.  

  • Alfa-fetoproteína (AFP)

    É uma substância produzida no desenvolvimento do embrião e do feto. Sua concentração no sangue decresce rapidamente após o nascimento. Em oncologia, pode servir de marcador da presença e da atividade de alguns tipos de tumor em adultos e crianças. A AFP é usualmente dosada no sangue, mas pode também ser medida no líquor.

  • Alopecia

    É a perda total ou parcial de cabelos ou pêlos. É um dos possíveis efeitos colaterais da quimioterapia. Em geral, a alopecia causada pela quimioterapia é transitória, ocorrendo novo crescimento do cabelo e dos pêlos em período variável de tempo após o término do tratamento. Entre os quimioterápicos que causam alopecia mais frequentemente e com mais intensidade estão:

    • Doxorrubicina;
    • Paclitaxel;
    • Docetaxel;
    • Citarabina (em doses altas);
    • Metotrexato (em doses altas);
    • Ciclofosfamida (em doses altas);
    • Ifosfamida (em doses altas).

    Contudo, a maioria dos quimioterápicos pode causar algum grau de afilamento e de perda dos cabelos.

  • Anamnese

    Consiste em uma entrevista realizada por um profissional da área da saúde com um paciente. O intuito da anamnese é o de obter informações a respeito do paciente, de sua história médica pregressa e de sua doença, na tentativa de chegar a um diagnóstico, que poderá ser concretizado com o auxílio de exames clínicos, laboratoriais e de imagem.

  • Anaplasia

    Processo no qual as células perdem suas características de especialização, assumindo características semelhantes às das células embrionárias. Muitas células tumorais podem apresentar essa perda de diferenciação, organização e função específica das células normais.

  • Anatomopatológico

    O exame anatomopatológico é realizado em fragmentos de tecido obtidos através de biópsia ou de cirurgia. Nesse exame, um médico patologista analisa as alterações teciduais e celulares encontradas no material colhido, geralmente com o uso de um microscópio. O principal objetivo do exame é alcançar um diagnóstico definitivo sobre a natureza de uma lesão. Em oncologia, o exame permite ainda a obtenção de outras informações importantes, como o tipo do tumor e de seu grau de malignidade.

  • Anemia

    Consiste em uma diminuição do número de glóbulos vermelhos circulantes ou na redução da concentração de hemoglobina nessas células. Com isso, pode haver uma diminuição da capacidade do sangue em conduzir o oxigênio aos tecidos, podendo resultar em cansaço e palidez.
    A anemia é um efeito colateral comum da quimioterapia. Em alguns casos, a redução da dose de quimioterapia pode ser suficiente para a reversão da anemia. Em outros casos, pode ser necessária a interrupção temporária do tratamento. Atualmente, existem medicamentos que podem prevenir e tratar a anemia, estimulando a produção de glóbulos vermelhos. Esses medicamentos são conhecidos como fatores de crescimento hematopoiéticos. Outra forma de se tratar anemia é a realização de transfusão de sangue ou a transfusão apenas de concentrado de hemácias.
    Além disso, o envolvimento da medula óssea por neoplasias hematológicas também pode causar anemia. Contudo, a anemia pode ter inúmeras outras causas, incluindo diversas doenças não malignas.

  • Angiogênese

    Refere-se à formação de novos vasos sanguíneos, estimulada pelo crescimento do tumor. A angiogênese permite que o tumor continue obtendo nutrição sanguínea ao longo de seu desenvolvimento. Assim, alguns novos medicamentos, pertencentes às classes das drogas de alvo molecular, têm sua ação dirigida à inibição da angiogênese, como forma de bloquear o crescimento tumoral ou de obter a redução de uma lesão.

1/14